Quarto individual ou duplo? Vantagens e inconvenientes

A casa de repouso que escolheu não tem vaga em quarto individual? A diferença de preços entre quarto individual ou duplo é muito significativa? Sempre partilhou o espaço com o seu cônjuge e não lhe parece natural ter outra companhia?
Se o quarto individual parece ser uma escolha natural perante a perspectiva de morar com um estranho, o quarto duplo nem sempre é uma opção para desprezar. Visão geral dos prós e contras das duas soluções oferecidas nas casas de repouso.

Razões para optar por um quarto individual

Pergunte a algum familiar ou amigo: se ele fosse para um lar de idosos, quereria partilhar o quarto com um estranho? A resposta da esmagadora maioria será negativa. Um estudo da Associação Americana de Aposentados revela que 82% das pessoas com 50 anos ou mais prefeririam ser acomodadas num quarto individual, e apenas 4% escolheriam partilhar um quarto (Baugh, 1996).

Vários factores explicam esta preferência

Controle do seu meio ambiente

Ter o seu próprio quarto, numa casa de repouso como em qualquer outro lugar, é uma forma de controle sobre a sua vida e é sinónimo de independência. Viver com outra pessoa num quarto significa ter que se acostumar com a rotina, comportamento e atividades de outra pessoa, e especialmente lidar com os seus gostos e preferências. Os principais problemas que se podem encontrar ao partilhar um quarto num lar são de natureza prática.

  • O barulho

Os quartos duplos, regra geral, oferecem uma pequena separação entre os dois residentes. A televisão, um residente que resmunga o dia todo e visitas de parentes ou da equipa médica frequentes podem ser uma desvantagem

  • A temperatura do quarto

A abertura das janelas e a regulação da temperatura do ar-condicionado podem ser uma fonte de conflito quando se partilha um quarto.

  • Transtornos do companheiro de quarto

Partilhar um quarto com alguém que sofra de uma desordem física ou cognitiva (incontinência ou desorientação), pode ser muito complicado.

Respeito pela privacidade

O quarto individual é, naturalmente, o local ideal para preservar a privacidade principalmente num ambiente colectivo como uma casa de repouso, onde actividades e refeições são partilhadas com outros residentes. Num quarto duplo, a privacidade e intimidade são postas à prova.

  • Sigilo médico

Nas casas de repouso e lares, a maioria dos cuidados médicos / enfermagem são efectuados directamente no quarto do residente. Alguns tratamentos podem exigir exames físicos. Noutras situações, poderá ser necessário discutir o historial clinico e a separação existente entre as duas camas poderá não ser suficiente para garantir um isolamento acústico.

  • Conversas privadas com familiares

O princípio é o mesmo para visitas familiares. Regra geral, existem à disposição salas que permitirão as visitas fora do quarto. No entanto, poderão nem sempre estar disponíveis e às vezes o idoso está cansado demais para receber visitas fora do seu quarto

  • Fim da vida com a família

Um residente que esteja no final de vida, terá os familiares mais presentes, quer em número quer em tempo. Um quarto duplo poderá ser pequeno demais para permitir que todos os membros da família passem um tempo de qualidade com seus entes queridos no final de suas vidas, sem sentir que estão a perturbar o outro residente. Este por sua vez poderá sentir-se constrangido por impor sua presença em momentos tão íntimos ou não desejar ser confrontado com a morte.

Factores clínicos

  • Pneumonia

É uma das principais causas de morbidade relacionada à doença nos lares de idosos. A maioria dos estudos mostra que os riscos de desenvolver infecção nosocomial em quarto individual são menores do que em quarto duplo

  • Distúrbios do sono

O descanso de um utente será perturbado caso haja necessidade de acompanhamento médico, durante a noite, do seu companheiro de quarto. Assim como, fazer uma sesta num período de visitas.

Todos estes factores parecem favorecer a escolha de um quarto individual numa casa de repouso, no entanto, algumas pessoas preferem ficar num quarto duplo.

Vantagens em optar por um quarto duplo

Embora o quarto individual pareça ser a solução ideal, os quartos duplos também podem ter benefícios e ser uma opção viável para um novo residente.

  • Custo mais baixo

A questão do preço é geralmente o principal argumento a favor do quarto duplo.

  • Contacto humano mais próximo

Algumas pessoas são particularmente sociáveis e nunca moraram sozinhas. Inicialmente em casa com os pais, depois com o cônjuge, sempre partilharam a vida com outros. Viver com um colega de quarto pode ser uma solução para a pessoa com mobilidade reduzida, que sai pouco do seu quarto, mas quer interagir com os outros. Pelo contrário, não ser capaz de conviver com o companheiro de quarto, pode fazer com que o residente passe menos tempo no quarto e participe mais nas actividades comuns da instituição. Um estudo realizado nos EUA indica que 22% dos residentes que têm um colega de quarto desenvolveram um relacionamento próximo ou positivo com o mesmo (Bitzan, 1998), e 8 em cada 10 residentes dizem que não têm problemas com seus companheiros de quarto. Os riscos de conflito não são, portanto, particularmente altos.

  • Maior vigilância

Finalmente, o companheiro de quarto também está presente em todos os momentos e pode dar o alerta, se o residente precisar de ajuda.

A escolha do quarto individual ou duplo pertence ao utente e família. O director da instituição tem um papel importante, na designação de quartos a utentes com patologias quer fisicas quer cognitivas semelhantes. Vários factores devem ser analisados (isolamento, privacidade, orçamento, disponibilidade …). O quarto duplo também pode ser um passo intermediário até que haja uma vaga para um quarto individual.