Osteoporose

A osteoporose é uma degeneração do tecido ósseo. Resulta do envelhecimento e pode causar fracturas. Na ausência de cuidados apropriados, pode conduzir à perda de autonomia das pessoas que sofrem desta patologia.

O que é?

Ao contrário da osteoartrose, que afeta as articulações, a osteoporose é uma doença óssea degenerativa que afeta o esqueleto. Causa fragilidade óssea e, consequentemente, um aumento do risco de fractura e, principalmente, fracturas do colo do fêmur, punho ou coluna.

A osteoporose ocorre como resultado do enfraquecimento da densidade óssea ou da rápida perda de massa óssea do paciente . Para o seu diagnóstico, o médico avalia a densidade mineral óssea (DMO) utilizando um exame radiológico, denominado de densitometria óssea.

Factores de risco para osteoporose:

  • idade
  • menopausa
  • o consumo de álcool e tabaco
  • certas doenças (doenças endócrinas …)

Como a artrose, a osteoporose é uma doença progressiva. Passa por três etapas, definidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS):

  • Fase 1: fase inicial da osteoporose. A densidade mineral óssea diminui. No entanto, este facto não produz a sintomas visíveis
  • Fase 2: osteoporose sem fractura. A massa óssea altera-se e torna-se cada vez mais frágil
  • Fase 3: osteoporose grave. Geralmente é nesta fase que ocorrem as fracturas

A osteoporose afeta mais as mulheres do que os homens, e a menopausa é uma das razões. Com a interrupção do ciclo menstrual assiste-se a uma redução acentuada do nível de estrogénio no organismo, hormônio responsável por fixar o cálcio nos ossos e retardar a reabsorção óssea.

Sintomas

A osteoporose é considerada uma “doença silenciosa”. No início, a perda de massa óssea ocorre sem dor ou sinais externos. Só mais tarde os primeiros sintomas aparecerão.

Os principais sintomas são:

  • Fracturas: a ocorrência de fracturas é um dos sinais mais comuns de fragilidade óssea causada pela osteoporose. As mesmas podem ocorrer depois de uma queda, a descer um passeio ou, inesperadamente, depois de um forte espilro.
  • Dor nas costas ou cervicalgia: a osteoporose pode causar fracturas por compressão da coluna vertebral. Por sua vez, as vértebras fraturadas podem pressionar os nervos que emergem da medula espinhal.
  • Redução da altura: aos poucos as costas começam a apresentar uma curvatura, causada pelas vértebras enfraquecidas. Este é o sintoma mais facilmente reconhecido da doença.
  • Postura arqueada: a cifose é um desvio anterior na coluna, que leva a que as costas fiquem em posição “corcunda”, também causada pelo enfraquecimento das vértebras. Causa dor nas costas e pode afetar a respiração devido à pressão nas vias aéreas.

Tratamentos para a osteoporose

A osteoporose é, actualmente, uma doença incurável. Os tratamentos ajudam a proteger e a fortalecer os ossos. É comum a combinação entre a medicação e a modificação do estilo de vida para retardar a degeneração óssea.

  • Medicação: prescrição de medicamentos é a maneira mais agressiva para retardar a perda óssea. As moléculas usadas bloqueiam a atividade das células envolvidas na destruição do osso
  • Terapia Hormonal: as mulheres na pós-menopausa são mais propensas a sofrer desta patologia devido à diminuição da produção de estrogênio. Com o propósito de proteger a massa óssea, as mulheres podem seguir um tratamento hormonal
  • Aumento da ingestão de cálcio e vitamina D: uma ingestão suficiente destes elementos ajuda a retardar a perda de massa óssea. Alimentos ricos em cálcio incluem leite, vegetais verdes, sementes fortificadas e pão, bem como produtos de soja.
  • Atividade física: o exercício fortalece os ossos e ajuda a prevenir a osteoporose.

A actividade física necessária para reduzir o risco de osteoporose inclui exercícios com pesos ou bandas de resistência. Caminhar, correr, andar de bicicleta ou usar uma máquina elíptica pode ser benéfico.