Os benefícios da música num lar de idosos

A música desempenha um papel importante nas nossas vidas, independentemente, da idade. Reduz o stress, reaviva memórias e ajuda a criar laços com os outros. Para os idosos, os benefícios da música destacam-se ainda mais. Vários estudos demonstram os seus efeitos positivos na saúde física e mental dos idosos. Numa casa de repouso a música tem um papel importante na qualidade de vida dos residentes.

Como é que a música pode melhorar o quotidiano dos residentes de uma casa de repouso?

A música desempenha um papel importante num lar de idosos:

  • Ocupa um lugar privilegiado entre as várias animações da instituição
  • A musicoterapia, numa casa de repouso, pode fazer parte dos cuidado prestados aos residentes, especialmente daqueles com doença de Alzheimer

Os benefícios da música num lar de idosos, são cada vez mais reconhecidos pelas equipas, e por sua vez explorados para proporcionar aos idosos um lugar para morar.

  • Promover o bem-estar diário: a música tem o poder de proporcionar prazer e bem-estar. O seu segredo? Evoca memórias e desperta emoções.

Muitas actividades, organizadas pelas equipas de animação das casas de repouso, podem girar em torno da música:

  • concertos
  • dança
  • tocar instrumentos
  • jogos

A música de fundo nas áreas comuns e quartos promove a descontração, um relaxamento. Quando usado adequadamente, o ambiente musical pode até reduzir a ansiedade e a inquietação dos residentes com distúrbios cognitivos.

Cientistas chineses constataram o efeito benéfico da música, nas casas de repouso, durante as refeições. A música ambiente ajudou a reduzir os problemas comportamentais dos residentes com demência e facilitou o trabalho dos cuidadores durante as refeições (Chang, Huang, Lin e Lin, 2010).

Estimular a actividade física dos residentes

A música num lar de idosos pode acompanhar diferentes actividades físicas e ajudar utentes menos motivados a participar. A música pode acompanhar:

  • exercícios de ginástica e alongamentos
  • andar / marchar no interior ou exterior da instituição
  • dança (uma grande oportunidade para criar laços sociais com outros residentes)

Cabe à equipa de animação seleccionar as músicas mais adequadas a cada actividade.

Melhorar a memória

Cada vez mais lares de idosos, em França, adoptaram a musicoterapia para melhorar o gerenciamento não medicamentoso de pessoas com problemas de memória.

A música actua no cérebro do paciente com Alzheimer de uma forma que alivia a ansiedade. Por outro lado, permitirá que o residente, cuja memória de curto prazo esteja em declínio, reavive memórias antigas.

As actividades musicais numa casa de repouso permitem criar ligações entre os residentes, ou entre os residentes e o pessoal. A partilha de momentos que quebram o gelo e facilitam relacionamentos. Além disso, a música melhora a auto-estima e promove a sociabilidade.

Combate à depressão

Os resultados de um estudo recente sugerem que a musicoterapia pode reduzir significativamente os sintomas de depressão em residentes de lares de idosos com demência moderada a grave. As actividades musicais projetadas por musicoterapeutas e orientadas por animadores com formação, podem ajudar na redução dos sintomas de depressão ao longo do tempo.

A música numa casa de repouso melhora o bem-estar dos residentes (Ray e Götell, 2018).