Hematomas nos idosos: causas e prevenção

Saber distinguir entre os fenómenos naturais ligados ao envelhecimento e os problemas de saúde a serem tratados, muitas vezes apresenta-se como um verdadeiro desafio para os cuidadores. Os hematomas nos idosos são um fenómeno comum e regra geral, curam-se naturalmente. Em alguns casos, no entanto, podem esconder um problema de saúde mais sério ou até mesmo ser um sinal de maus tratos.
Dizemos-lhe tudo sobre como ajudar o seu familiar idoso a evitar as nódoas negras e quando consultar um médico.

O que é um hematoma e por que razão os idosos são mais afectados?

Hematomas são marcas devido ao rompimento de pequenos vasos sanguíneos (capilares) sob a pele. Bolsas subcutâneas enchem-se de sangue escuro e causam manchas roxas ou azuladas. Os vasos capilares rebentam quando a pessoa cai ou, mesmo, quando bate contra um móvel.
Os hematomas nunca são muito agradáveis, mas nos idosos, cujo corpo geralmente cicatriza menos rapidamente, podem ser muito dolorosos e durar semanas.

As pessoas idosas são mais propensas a ter hematomas, por várias razões:

Fragilidade da pele

Com o envelhecimento, as células da pele dividem-se menos rapidamente e a pele fica mais fina. A capacidade de retenção de humidade diminui assim como a elasticidade. Para além disso, as camadas de gordura que protegem os vasos sanguíneos e absorvem o impacto dos golpes também diminui.
A pele não se regenera tão facilmente e os próprios vasos sanguíneos são mais frágeis nos idosos, levando à ocorrência de hematomas mais facilmente.

Púrpura senil

Alguns idosos têm hematomas que não são decorrentes de um impacto e consequentemente de um derrame, mas sim pela exposição ao sol.
Ao longo do tempo os vasos sanguíneos vão enfraquecendo, e anos depois surgem os derrames. Estas manchas aparecem, geralmente, nas costas das mãos e nos braços. Normalmente,  são impressionantes mas não requerem tratamento. Recomenda-se, no entanto, consultar o médico.

Carência de vitamina C e D

Estas vitaminas são importantes para manter a pele saudável e prevenir os hematomas nos idosos. O médico do seu familiar poderá avaliar a necessidade e prescrever suplementos. Por sua vez, pode tentar adicionar citrinos na alimentação do seu familiar e aumentar a sua exposição solar.

Medicação

Alguns medicamentos são responsáveis por hematomas nos idosos. Os anticoagulantes, por exemplo, impedem o sangue de coagular, como o próprio nome sugere, diluindo-o. Estes medicamentos reduzem o risco de doenças cardiovasculares, mas também aumentam a probabilidade de hematomas. Outros medicamentos de venda livre, como aspirina e ibuprofeno podem ter um efeito similar. Neste caso, poderá perguntar ao médico se é possível alterar o tratamento.

Excesso de peso

A pele fica mais exposta ao trauma quando é distendida. Por outro lado, os idosos obesos também têm dificuldades de locomoção acrescidas e são mais propensos a esbarrar em móveis.

Quando consultar o médico?

Quando os hematomas se multiplicam ou aparecem espontaneamente nos idosos, podem ser um sinal de um problema de saúde mais grave, como doenças sanguíneas ou coagulação deficiente.

Recomenda-se consultar o médico responsável, se a pessoa idosa:

  • tem hematomas frequentes e de grande dimensão, especialmente se estiverem localizados no tronco, costas ou rosto, ou quando aparecem sem qualquer razão aparente
  • sofreu uma hemorragia grave, especialmente durante um procedimento cirúrgico
  • tem hematomas após o início de um novo tratamento médico

Estes fenómenos podem ser sintomas de situações que requerem tratamento.

Como saber se os hematomas são um sinal de maus tratos?

Hematomas “espontâneos” podem ser um sinal de abuso (espancamentos ou manipulação violenta). Se o seu familiar idoso sofre de algum défice cognitivo, ele pode não estar ciente de estar a ser maltratado. Aprenda a reconhecer os sinais de maus tratos de idosos.

Como prevenir os hematomas nos idosos?

Para prevenir hematomas nos idosos, é importante reduzir o risco de queda:

  • melhorar a iluminação da residência
  • remover móveis volumosos e obstáculos para permitir a deslocação do seu familiar em segurança
  • ajudar o seu familiar a levantar-se, caso ele não o possa fazer sozinho
  • considerar o uso de uma ajuda técnica (andarilho ou bengala)
  • instalar barras de apoio
  • assegurar a correcta toma da medicação
  • verificar a sua visão e audição