Gripe: sintomas e vacina

A gripe é uma infecção aguda do trato respiratório superior provocada pelo vírus influenza, que ocorre em todo o mundo, principalmente durante o inverno.

Na maioria dos casos, nas pessoas saudáveis, a gripe costuma ser uma infecção limitada. Certamente debilitante, mas de caracter temporário e acaba por se curar espontaneamente após alguns dias.

Os principais sintomas da gripe são:

febre, normalmente entre 38 e 40ºC
calafrios
dor de cabeça
tosse, espirros e o “pingo” no nariz
dor de garganta
dores musculares, especialmente nas costas e pernas
perda de apetite e cansaço.

Enquanto nas pessoas saudáveis a gripe é algo limitado, em determinados grupos de risco, a gripe pode ter um impacto mais agressivo, provocando complicações, tais como sinusite, otites, pneumonia, bronquite e inflamação dos músculos cardíacos.

São considerados grupos de risco:

cidadãos com 65 anos ou mais
doentes crónicos e utentes com o sistema imunitário debilitado
grávidas
profissionais de saúde do serviço nacional de saúde ou outros prestadores de cuidados, como colaboradores de casas de repouso e prestadores de apoio domiciliário
bombeiros.

A campanha de vacinação contra a gripe teve início no mês de Outubro. A vacina apresenta-se como a principal medida de prevenção contra a gripe e tem como objetivo proteger as pessoas mais vulneráveis, prevenindo a doença e as suas complicações. A vacina deve ser feita, preferencialmente, até ao fim do ano.

A vacina da gripe é gratuita, e está disponível nos centros de saúde, para alguns utentes destes grupos de risco. Nomeadamente para os utentes com idade com idade igual ou superior a 65 anos e residentes / internados em instituições; independentemente da idade, para utentes portadores da trissomia 21, diabetes Mellitus, a aguardar ou que tenham sido submetidos a transplantes de células percursoras hematopoiéticas ou de órgãos sólidos.

A Diretora-Geral de Saúde, Graça Freitas, afirmou que em cerca de dois meses seriam disponibilizados 1,4 milhões de doses de vacinas por mais de dois mil pontos de vacinação e garantiu que não haveria racionamento da mesma.