Exercício físico aumenta significativamente longevidade em mulheres idosas!

As mulheres mais velhas que praticam exercício físico moderado a vigoroso podem ter uma longevidade muito maior em comparação com as que não são muito ativas.

A conclusão foi de um estudo alargado conduzido por investigadores do Hospital Brigham and Women, em Boston, EUA, que mediu e seguiu a atividade física de mulheres mais velhas, através de dispositivos de monitorização da atividade física durante até quatro anos.

Para o estudo, os investigadores analisaram os registos de 16.741 mulheres, com uma média de idades de 72 anos, e que tinham participado no Estudo da Saúde das Mulheres.

As mulheres usaram os dispositivos de monitorização da atividade física muito sofisticados durante pelo menos 10 horas por dia e um mínimo de quatro vezes por semana. Durante o período de acompanhamento que foi de 2,4 anos em média, registaram-se 207 óbitos.

Como resultado, foi verificada uma forte relação entre a quantidade de exercício físico registada nos dispositivos e um risco reduzido de morte por todas as causas durante o período de monitorização. Esta associação era já conhecida. No entanto, não se sabia até que ponto podia ir essa redução no risco de morte.

Foi apurado que 25% das participantes mais ativas apresentavam um risco entre 60 a 70% inferior de morrerem durante o período de acompanhamento em comparação com as 25% menos ativas. Todavia, relativamente à atividade física de baixa intensidade, como caminhar devagar, por exemplo, a mesma associação não se verificou.

Os investigadores compararam a percentagem elevada de redução no risco de morte devido à atividade física com a de não fumar, pois estima-se que os não fumadores apresentam um risco 50% menor de morte prematura em relação aos que não fumam.

Fonte: Bancodasaude.com