Dicas para preparar a entrada do casal num lar de idosos

Encontrar um lar de idosos para um familiar, muitas vezes, é um desafio para as famílias. Diferentes critérios a serem considerados e a transição, às vezes, difícil para o novo residente. Quando se trata de um casal, a família deve ter em conta as necessidades pessoais de cada membro do casal e o desejo de continuarem a viver juntos. Eis alguns conselhos quando procura um lar de idosos para um casal.

O casal num lar de idosos – o desafio da vida a dois num novo lugar

Já escrevemos alguns artigos para ajudar a escolher uma casa de repouso para um familiar idoso ou para si mesmo. Mas, e quando a entrada num estabelecimento é para duas pessoas? Como encontrar um espaço comum num lar de idosos, onde o casal se possa estabelecer como tal e beneficiar de uma estrutura de vida segura?

O envelhecimento da população é uma realidade hoje em dia, e cada vez mais pessoas se preocupam com a possibilidade de entrar num lar de idosos enquanto casal. Quase quatro pessoas com 75 anos ou mais vivem em casal, mesmo que haja mais homens nesta situação do que mulheres, geralmente mais jovens que o cônjuge e, portanto, mais visadas pela viuvez.

Quando um dos membros do casal é afetado pela perda de autonomia, a perspectiva de entrar num lar de idosos materializa-se. Não obstante, se nenhum dos membros do casal necessita, obrigatoriamente, de cuidados diários, médicos ou outros, poucos casais se querem separar. Para o cônjuge, o papel de cuidador pode-se tornar cada vez mais difícil. No entanto, os casais em lares de idosos raramente representam mais de 5% dos residentes.

A institucionalização de um casal envolve uma série de desafios, em comparação com encontrar um lugar para um só familiar. O que fazer quando os dois cônjuges têm necessidades completamente diferentes? Como garantir que as necessidades médicas, emocionais e sociais dos dois membros do casal sejam satisfeitas no seu novo ambiente?

Factores a considerar para a entrada do casal num lar de idosos

A procura de um lar para dois e a adaptação à vida na instituição têm especificidades próprias em relação à institucionalização de um único residente.

Poderá ajudar os seus familiares, seguindo estas dicas, a encontrar um espaço para o casal numa instituição adequada.

Antecipar a procura de um lar de idosos

A perda de autonomia e alterações do estado de saúde são os principais motivos para entrar numa casa de repouso. Após uma hospitalização e perante a impossibilidade de garantir a continuidade dos cuidados de saúde no domicílio, a procura de uma instituição passa a ser urgente.

Para um casal que deseja escolher o seu futuro local de vida e evitar separar-se, é importante antecipar este tipo de situação. Ao considerar as opções existentes, de acordo com os seus desejos e meios, e a disponibilidade dos familiares, terão mais tempo para encontrar e escolher um estabelecimento adequado para o casal. Se não estiverem prontos quando ocorrer uma crise, a escolha poderá ser mais limitada.

Prepar-se para a vida num novo lugar

Se por um lado cada vez mais existem casais a envelhecer juntos, por outro ainda há muito poucos em lares de idosos e a maioria dos estabelecimentos é projetado para pessoas “solteiras” que se integram na instituição. Os quartos duplos nem sempre são fáceis de encontrar.

Além de considerações técnicas, a vida comunitária pode ser um desafio para um casal que vive um para o outro há anos. Para o casal, assim como para as pessoas próximas, é importante estar ciente da diferença entre manter duas pessoas em casa e a vida numa instituição. Que representa outro ambiente, onde a privacidade é mais difícil de preservar. Mesmo que o casal tenha o seu próprio quarto, a presença da equipa de enfermagem, os regulamentos da casa de repouso e a natureza colectiva deste tipo de ambiente redefinem os limites da vida privada …. Conhecer com antecedência ajudará o casal a preparar melhor a transição de casa para o lar de idosos.

Responder as necessidades do casal e do indivíduo

Casais diferentes têm necessidades diferentes, assim como cada membro do casal pode ter expectativas e necessidades diferentes em termos de assistência médica e vida social.

Se um dos dois residentes for mais saudável e independente do que o outro ou mais social, verifique a presença de uma equipa de entretenimento que ofereça actividades interessantes adequadas para ambas as partes. Se a esposa quiser participar em actividades para exercitar a memória, o marido terá a opção de uma atividade diferente mais próxima dos seus interesses? Certifique-se de que a casa de repouso tem capacidade para levar em consideração as necessidades do casal e do indivíduo.

Considerar as futuras mudanças no estado de saúde

Um casal também pode optar por se mudar para uma residência sénior assistida para aproveitar as acomodações particulares, continuar a controlar a sua privacidade o máximo possível, mas num ambiente adaptado ao envelhecimento. Estes estabelecimentos, são uma excelente alternativa ao apoio domiciliário para pessoas cuja casa não está adaptada, e se um dos cônjuges precisar de cuidados médicos.

Ao procurar uma casa de repouso, informe-se sobre os regulamentos. Quais os procedimentos face às alterações do grau de dependência dos residentes durante a estadia, para evitar surpresas desagradáveis.