Benefícios da Dança nos Idosos

A dança traz benefícios à saúde dos idosos!

Com a celebração do dia Mundial da Dança, no dia 29 de Abril, aproveitamos para relembrar os benefícios da dança nos idosos.
A data foi criada pelo Comité Internacional da Dança (CID) da UNESCO e teve por base uma homenagem a Jean-Georges Noverre, que foi um dos grandes nomes mundiais da dança.
Dançar é divertido! Para além de permitir manter em forma, é adequado para todas as idades!
Quer se pratique danças de salão, a salsa, o flamenco ou outra, todas as modalidades trazem benefícios para a saúde física e mental, e a destreza ou a idade de quem pratica é pouco relevante.

Enumeramos alguns dos benefícios da prática da dança nos idosos:

  • Ajuda a melhorar a condição física

A dança requer que o corpo esteja em constante movimento, propiciando a queima de calorias, o fortalecimento dos músculos e articulações, trabalha a coordenação motora, contribui para um melhor equilíbrio e pode ajudar na diminuição do risco de quedas.
Praticada de uma forma regular, a dança, contribui para uma diminuição de perda de massa óssea, prevenindo desta forma a osteoporose e artrites, uma vez que, muitos movimentos executados durante este exercício fortalecem ossos como o fémur ou a tíbia.
À semelhança de outros exercícios aeróbicos, a dança pode contribuir para a diminuição do ritmo cardíaco, da pressão arterial e o nível de colesterol.

  • Estimula a memória / cérebro

O exercício da dança, também, vai permitir reforçar a capacidade de raciocínio através da realização de várias tarefas ao mesmo tempo e melhorar a memória. Memorizar passos, coreografias, letras e ritmos de música também proporciona um sentimento de dever cumprido e bem-estar.
De acordo com, um estudo realizado por Albert Einstein, College of Medicine em Nova Iorque, a prevenção da perda de memória e da doença de Alzheimer foram alguns dos benefícios apontados nos idosos que praticam a modalidade com regularidade.

  • Melhora a autoestima e confiança

Ao praticar uma actividade aeróbica com frequência, o cérebro é estimulado a libertar serotonina, endorfina e dopamina, substâncias ligadas à sensação de prazer e relaxamento. Com a dança, sentimentos de stress e depressão são amenizados proporcionando uma melhoria da sensação de bem-estar e aumento da autoestima.

  • Estimula a socialização

Por norma, dançar é uma actividade que se pratica a pares ou em grupo. Mesmo tomando a iniciativa sozinho, o idoso terá sempre a oportunidade de ser integrado numa aula e conhecer novas pessoas. Conviver, partilhar experiências é importante nesta fase da vida, ajuda a manter a motivação e afasta o sentimento de solidão.

“Dançar é sentir, sentir é sofrer, sofrer é amar… Tu amas, sofres e sentes. Dança!”
Isadora Duncan