Avaliação da doença de Parkinson usando a escala UPDRS

As escalas de avaliação da doença de Parkinson ajudam a monitorar o paciente ao longo do tempo. A escala UPDRS (Unified Parkinson’s Disease Rating Scale) é a mais utilizada, pois permite uma análise geral da situação do paciente e da evolução dos seus sintomas. Desta forma, permitirá ajustar devidamente os tratamentos e cuidados ao seu familiar.

O que é uma escala de avaliação da doença de Parkinson?

As escalas da doença de Parkinson fornecem informações sobre os sintomas do paciente. O objetivo: permitir que o médico avalie a evolução da doença e o impacto dos vários sintomas na qualidade de vida do paciente. Os resultados dessa análise ajudam o neurologista a:

As escalas de avaliação da doença de Parkinson também são usadas em pesquisas médicas.

Existem duas categorias de escalas de avaliação da doença de Parkinson:

  • escalas de avaliação motora – as mais conhecidas e usadas
  • escalas para analisar sintomas não motores

Combinadas, elas reflectem como a vida do paciente é afetada pela doença de Parkinson.

O que é a escala UPDRS?

A escala UPDRS (Unified Parkinson Disease Rating Scale) é uma ferramenta de análise que combina várias escalas de avaliação. O objetivo: fornecer uma ferramenta completa e flexível para monitorizar a progressão da doença de Parkinson e o nível de perda de autonomia do paciente.

Esta escala de avaliação de Parkinson foi criada em 1987. Posteriormente actualizada e aprimorada em 2008 por especialistas da Sociedade Internacional de Parkinson e de Distúrbios do Movimento (MDS), para incluir novas ferramentas de avaliação de sintomas não motores da doença de Parkinson (MDS-UPDRS).

É a ferramenta mais confiável e, portanto, mais frequentemente usada pelos especialistas, uma vez que permite uma avaliação da doença a vários níveis.

A escala UPDRS inclui 6 secções:

  • três secções da escala UPDRS avaliam as principais áreas de deficiência
  • a quarta secção avalia possíveis complicações do tratamento
  • a UPDRS geralmente inclui duas outras escalas para avaliar a doença de Parkinson: os estádios de Hoehn e Yahr, e a escala de qualidade de vida de Schwab e England.

As 6 secções da escala UPDRS

Secção 1

Avaliação do estado mental e comportamental – comprometimento intelectual; distúrbios do pensamento; depressão; motivação / iniciativa
Outros sintomas não motores – distúrbio do sono; continência urinária; obstipação; fadiga

Secção 2

Autoavaliação das actividades da vida diária (nos períodos ON e OFF) – discurso; salivação; deglutição; escrita; comer e manusear talheres; vestir; higiene; virar-se na cama e fazer a mesma; queda não relacionada ao tropeçar; tropeçar durante a marcha; marcha; tremor; distúrbios sensoriais relacionados ao parkinsonismo

Seção 3

Avaliação das funções motoras (nos períodos ON e OFF) – discurso; expressão facial; tremor em repouso; tremor de acção ou tremor postural das mãos; rigidez; movimento dos dedos; movimentos das mãos; movimentos alternativos rápidos; agilidade nas pernas; levantar-se de uma cadeira; postura; estabilidade postural: marcha; bradicinesia e hipocinesia corporais (movimentos lentos e/ou diminuídos)

Secção 4

Avaliação das complicações do tratamento – discinesias ou movimentos involuntários (duração, incapacidade, dor); flutuações (períodos OFF previsíveis / imprevisíveis, início repentino, duração); problemas digestivos e no sistema nervoso (anorexia, distúrbios do sono, etc.)

Seção 5: Estádios Hoehn e Yahr

Estes estádios permitem que os pacientes sejam classificados em oito níveis, dependendo da gravidade da patologia. Em que o estádio 0 traduz a ausência de sinais parkinsonianos e o estádio 5 uma situação em que o paciente se desloca em cadeira de rodas ou está acamado, se não for ajudado.

Seção 6: escala de Schwab e England

Avalia a capacidade do paciente de realizar actividades da vida diária (AVD) – em termos de velocidade e autonomia.

Como é usada a escala de classificação de Parkinson?

A escala de avaliação de Parkinson da UPDRS não é uma ferramenta de diagnóstico ou um teste para executar por conta própria. É realizado por um profissional de saúde, geralmente o neurologista que segue o seu familiar.

O neurologista indica pontos para cada item das diferentes secções da escala, com base nas respostas do paciente e no seu próprio exame clínico. A pontuação para cada item é de 0 a 4.

Certas secções da escala UPDRS são avaliadas durante o período OFF (menor mobilidade) e o período ON (óptima mobilidade). A avaliação do paciente demora entre 15 a 25 minutos, dependendo da condição do mesmo.