Aeróbica pode melhorar ligeiramente sintomas de Alzheimer!

 

A doença de Alzheimer é uma doença cerebral que destrói as habilidades de memória e pensamento ao longo do tempo. Especialistas em geriatria sugeriram que o exercício pode melhorar a saúde cerebral em adultos mais velhos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) também acredita neste facto, sugerindo que os adultos mais velhos devem realizar 150 minutos por semana de exercícios moderados, 75 minutos por semana de um treino aeróbico vigoroso ou uma combinação dos dois tipos de exercícios. A OMS também recomenda que os adultos mais velhos realizem exercícios de fortalecimento muscular em pelo menos dois ou mais dias por semana.

No entanto, nem todos os estudos provaram que existem benefícios ao nível da doença de Alzheimer em adultos que pratiquem exercício. Por isso, uma equipa de investigadores criou um estudo para saber se o exercício pode atrasar ou melhorar os sintomas da doença.

Os especialistas analisaram 19 estudos que examinaram o efeito de um programa de exercícios sobre a função cognitiva em adultos mais velhos que estavam em risco ou que tinham sido diagnosticados com Alzheimer; os estudos incluíram 1 145 adultos, a maioria com mais de 70 anos. Dos participantes, 65 por cento estavam em risco de desenvolver a doença e 35 por cento já tinham sido diagnosticados com ela.

À medida que os investigadores examinaram os estudos, descobriram que os adultos mais velhos que praticaram exercícios aeróbicos por si só experimentaram um nível três vezes maior de melhoria na função cognitiva do que aqueles que participaram em treinos aeróbicos combinados e exercícios de treino de força.Os especialistas também confirmaram que a quantidade de exercícios que a OMS recomenda para adultos mais velhos foi reforçada pelos estudos que examinaram.

Finalmente, o estudo descobriu que os adultos mais velhos dos grupos de controlo sem exercício enfrentaram uma diminuição da função cognitiva. Enquanto isso, os adultos mais velhos que se exercitavam apresentaram pequenas melhorias na função cognitiva independentemente do tipo de exercício que realizaram.

A equipa concluiu que este estudo pode ter sido o primeiro a mostrar que, para os adultos mais velhos que estão em risco ou que têm Alzheimer, o exercício aeróbico pode ser mais eficaz do que outros tipos de exercício, preservando a capacidade de pensar e tomar decisões.

O estudo foi publicado no Journal of the American Geriatrics Society.

Fonte: www.indice.pt